• Revista Plástica e Forma

Queda de cabelo, confira os melhores alimentos que ajudam prevenir e tratar.

Atualizado: Abr 27


A queda de cabelo (alopecia) é um problema comum no público feminino, que pode ser profundamente angustiante. Cerca de 1/3 das mulheres sofrem de alopecia em algum momento de suas vidas. Na fase pós-menopausa, até 2/3 relatam estresse com o problema. A perda de cabelo afeta gravemente o bem estar emocional e a qualidade de vida destas pessoas.


Para a nutricionista Adriana Stavro, existem muitas causas potenciais para o problema, incluindo condições médicas, uso de medicamentos, estresse físico ou emocional e deficiência nutricional (DN).


A DN é um problema comum e pode alterar a estrutura e o crescimento do cabelo. Os efeitos no crescimento incluem eflúvio telógeno agudo (ETA) (O ET ocorre quando há uma mudança no número de folículos capilares que estão gerando cabelo. Se essa mudança ocorrer durante a fase telógena ou de repouso do crescimento, ela pode resultar em queda), um efeito bem conhecido de perda brusca de peso ou diminuição da ingestão de proteínas, bem como a alopecia difusa observada na deficiência de niacina. Carências de zinco, selênio, ferro, vitamina A ou biotina também podem se manifestar como queda de cabelo.


A biotina, conhecida comoB7 ou vitamina H, é um nutriente essencial que está naturalmente presente em alguns alimentos, importante na síntese de ácidos graxos no corpo. Este processo é essencial para o ciclo de vida do cabelo. Ela também atua como uma coenzima para múltiplas carboxilases e altera a carboxilação de acetil-CoA em malonil-CoA, piruvato em oxalacetato, propionil-CoA em metilmalonil-CoA. Essencialmente, essas conversões auxiliadas pela biotina quebram os alimentos em glicose, a principal fonte de carboidratos para o cérebro e o corpo.


Os sinais e sintomas da deficiência de biotina geralmente aparecem gradualmente, e podem incluir queda de cabelo com progressão para perda de todos os fios do corpo, erupção cutânea escamosa e vermelha ao redor dos olhos, nariz, boca e períneo, conjuntivite, acidose cetolática (que ocorre quando a produção de lactato excede a depuração de lactato), acidúria (quantidades anormais de ácido na urina), convulsões, Infecção de pele e unhas quebradiças,

Por isso a alimentação é importante. Comer os nutrientes certos pode ajudar a prevenir, diminuir e promover o crescimento saudável do cabelo, especialmente se você estiver com deficiência de nutrientes. A nutricionista Adriana Stavro separou alguns alimentos que podem auxiliar na saúde e beleza dos fios.


Espinafre

O espinafre é um vegetal verde, rico em nutrientes como folato, ferro e vitaminas A e C, que podem promover o crescimento do cabelo.A vitamina A ajuda as glândulas da pele a produzir sebo. Esta substância oleosa ajuda a hidratar o couro cabeludo para manter o cabelo saudável


O espinafre também é uma ótima fonte vegetal de ferro , essencial para o crescimento dos fios. O ferro ajuda os glóbulos vermelhos a transportar oxigênio por todo o corpo para alimentar o seu metabolismo e ajudar no crescimento e na reparação. As deficiências de ferro têm sido associadas à queda de cabelo


Peixe gordo

Peixes gordos como salmão , arenque e cavala, são boas fontes de ácidos graxos ômega-3, associados ao crescimento e beleza do cabelo.


• Um estudo de 2015 que avaliou os efeitos sobre a queda de cabelo de uma suplementação com ômega 3, ômega 6 e antioxidantes durante de 6 meses, os resultados mostraram que a suplementação foi eficiente, melhorando a densidade dos fios e reduzindo a porcentagem de queda.


Gemas de ovo

Os ovos estão cheios de vitaminas do complexo B, proteínas, ferro e fósforo. A gema é uma fonte especialmente rica em biotina. Você sempre deve cozinhar os ovos, para reduzir o risco de contaminação por Salmonella e melhorar a absorção de biotina. A clara do ovo contém uma proteína chamada avidina, que pode interferir na absorção da biotina se consumida crua.


A avidina dietética, uma glicoproteína da clara de ovo crua, liga-se à biotina dietética e impede sua absorção no trato gastrointestinal. O cozimento desnatura a avidina, tornando-a incapaz de interferir na absorção da biotina.


Leguminosas

Por definição, os feijões são sementes comestíveis e nutritivas na forma de vagens dentro da família das leguminosas. Existem muitas variedades de leguminosas. Alguns tipos comuns incluem feijão, soja, grão de bico, ervilha e lentilhas.


As leguminosas são nutritivas. Eles fornecem fibras, proteínas, carboidratos, vitaminas B, ferro, cobre, magnésio, manganês, zinco e fósforo. As leguminosas são naturalmente pobres em gordura, por serem alimentos vegetais, e também não têm colesterol. Os legumes são parte integrante de muitos padrões de alimentação saudável, incluindo o estilo mediterrâneo, o plano alimentar DASH, dietas vegetarianas e veganas.


Nozes

As nozes, além de saborosas, contémvitaminas do complexo B, zinco e ácidos graxos essenciais,proteínas e biotinaque podem promover o crescimento do cabelo. Uma privação calórica ou a deficiência de qualquer um desses nutrientes foi associada à queda de cabelo. As nozes podem ser apreciadas cruas, jogadas em saladas, misturadas em pratos de massa e salteados ou misturadas em nozes caseiras e manteigas de sementes.


Batata doce

A batata-doce de polpa alaranjada é fonte de fibra alimentar, minerais, diferentes vitaminas e antioxidantes. Compostos fenólicos e carotenoides são responsáveis pelas cores da polpa e da pele (vermelho, laranja, roxo), juntamente com propriedades antioxidantes. As batatas-doces também são uma das melhores fontes vegetais de biotina. No estudo de 2004 que avaliou o teor de biotina de 87 alimentos, mostrou que uma porção de 80g de batata-doce cozida, contém 1,16 mcg de biotina.


A batata-doce também é fonte de betacaroteno. O corpo converte esse composto em vitamina A, que está ligada à saúde e crescimento dos cabelos.


Abacates

Os abacates são deliciosos, nutritivos e fonte de gorduras saudáveis.Eles também são uma excelente fonte de vitamina E, que pode promover o crescimento do cabelo. Os tocotrienóis pertencem à família da vitamina E, e são conhecidos por serem antioxidantes potentes.


• Um estudo de 2010 que avaliou Efeitos da suplementação de tocotrienol no crescimento do cabelo em voluntários humanos, os autores concluíram que a suplementação com cápsulas de tocotrienol aumenta o número de cabelos em voluntários que sofrem de queda de cabelo, em comparação com o grupo de placebo. Este efeito observado foi provavelmente devido à atividade antioxidante dos tocotrienóis que ajudaram a reduzir a peroxidação lipídica, e o estresse oxidativo no couro cabeludo, que estão associados à alopecia.


Bananas

As bananas são uma das frutas mais populares em todo o mundo. São uma fonte de energia de baixo custo e muito consumida por atletas devido à percepção que são uma boa alternativa de carboidratos e potássio. Uma banana média (∼118g) contém cerca de 27g de carboidratos, 3,1g de fibra, e é uma boa fonte de potássio (422 mg) e vitaminas. No estudo de 2004 que avaliou o teor de biotina de 87 alimentos, mostrou que uma banana de 103g contém 0,14 mcg de biotina. Assim, as bananas parecem ser uma mistura única de carboidratos, nutrientes e que podem fornecer um bom suporte nutricional.


Pimentões

Pimentas doces são uma excelente fonte de vitamina C, que pode ajudar no crescimento do cabelo.A vitamina C ajuda a promover a produção de colágeno, o que pode ajudar a fortalecer os fios de cabelo. Também é forte antioxidante, que pode proteger os fios contra o estresse oxidativo (EO).


EO desempenha papel importante no processo de envelhecimento. As espécies reativas de oxigênio (EROS) são geradas por uma série de desafios endógenos e ambientais. As EROS são moléculas altamente reativas que podem danificar diretamente as membranas estruturais celulares, lipídios, proteínas e DNA. O organismo possui mecanismos de defesa endógenos, como enzimas e moléculas antioxidantes não enzimáticas, protegendo-o dos radicais livres (RL), reduzindo-os e neutralizando-os. Com a idade, a produção de RL aumenta, enquanto os mecanismos de defesa endógena diminuem. Esse desequilíbrio leva ao dano progressivo das estruturas celulares, resultando no fenótipo de envelhecimento. Há evidências circunstanciais de que o EO pode ser um mecanismo fundamental que contribui para o envelhecimento e a queda do cabelo.


Proteína

A deficiência de ferro é a carência nutricional mais comum do mundo, e é uma causa bem conhecida de queda de cabelo. A carne é um alimento básico na dieta de muitas pessoas e é rica em ferro heme.Este ferro é melhor absorvido pelo organismo que o ferro não-heme, da ordem de 25% ou mais. Este mineral ajuda as células vermelhas do sangue a transportar oxigênio a todas as células do corpo, incluindo os folículos capilares. A falta de ferro representa uma das possíveis causas da queda excessiva de cabelo entre as mulheres.

Instagram - @nutriadrianastavro


Adriana Stavro (CRN- 43576), formada em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo. Pós-graduada em Doenças Crônicas não Transmissíveis pelo Hospital Albert Einstein. Pós graduanda em Nutrição Clinica Funcional pela VP consultoria, pós graduanda em Fitoterapia pela Course4U.