• Revista Plástica e Forma

O que é Saúde Integrativa?



Se você está se perguntando o que é saúde integrativa, faz sentido antes relembrar o conceito de saúde.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define “saúde” como um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não como a ausência de doenças.

De acordo com esse conceito, para que se tenha saúde é necessário um bom funcionamento biológico do corpo, acesso a direitos básicos como água, ar, moradia e trabalho, um estilo de vida adequado e uma assistência à saúde que atenda a população de forma satisfatória.

A saúde integrativa que trata da conexão mente e corpo, do impacto da espiritualidade e da religião na manutenção da saúde e de todos os processos mentais que interferem em nosso estilo de vida, e portanto, na nossa saúde. A saúde integrativa é focada na pessoa, no seu todo. Baseada no bem estar, autocuidado, autonomia.

A roda da saúde baseia-se então, no autocuidado, nutrição saudável, atividade física, gestão de estresse, espiritualidade, ambientes saudáveis e práticas integrativas mente-corpo.

Quanto ao auto cuidado, temos que despertar em nós, nosso poder pessoal que todos nós temos, porém ativá-los e o livre arbítrio, qual a direção que queremos seguir.

O autocuidado, o individuo deve cuidar de sua mente, energia, espiritualidade, dinheiro e afetividade, de forma equilibrada e integrada. Isso quer dizer que para envelhecermos bem, temos que entender que pensamentos, emoção e crenças são determinantes na saúde e na longevidade. Como diz a frase: “O Dom de ser capaz de ser feliz” (envelhecer bem).

Então qual é o papel da mente na saúde? Uma mente tranquila reage com mais clareza frente a situação, tem mais equilíbrio emocional, gerando maior bem estar, melhor percepção, sono mais restaurador, menor incidência de doenças psicossomáticas(síndrome do pânico, ansiedade, depressão), doenças intestinais , inflamatórias, doenças auto imune e câncer.


A importância de cuidar de seu estilo de vida

Sabe-se que as mortes precoces ocorrem por:

- 20% fatores ambientais;

- 10% falta de acesso à saúde;

- 20% fatores genéticos;

- 50% escolha de estilo de vida.


Então, cabe a nós médicos e pacientes, visto que 50% deve-se a estilo de vida, buscar uma melhor qualidade de vida.

Dentre as práticas integrativas, para visar melhor qualidade de vida e bem estar físico e mental, podemos citar: Meditação/Mindfulness(atenção plena), Acupuntura, Yoga, Tai-Chi-Chuan, Qi Gong, exercícios respiratórios, massagens terapêuticas, entre outros.


Essas técnicas nos ajudam a descontrair e a nos autoconhecer e organizar pensamentos. As emoções “contraem” o corpo, daí o corpo pode adoecer, mas as emoções podem ser percebidas e treinadas, para termos relacionamentos mais saudáveis.


O que é necessário para cuidar de um ser humano? Amor, compaixão, autocuidado, presença, escuta sensível.


“As pessoas buscam médicos desejando ter mais saúde, mas no fundo elas só querem ser mais felizes” (Henrique Rego)


É importante a relação paciente e profissional e a cura envolve a participação ativa do paciente em todo processo.

Manejo do Estresse


Assim sendo, é de suma importância o manejo do estresse que deve ser orientado sob os prismas de:

1- gerenciar estressores;

2- fortalecer a resistência;

3- mudanças cognitivas e comportamentais.


1. Definir prioridades e Gerenciar Estressores:


A- Identificar os estressores: coisas que você tem para fazer, resolver

(pode-se escrever no papel e ir colocando prioridades para cada semana);


B- Negociar metas e prazos com os quais pode se comprometer. É preciso aprender a delegar tarefas e a dizer Não.


2. Fortalecer a resistência: através da atividade física regular, alimentação saudável e equilibrada, descanso e sono, aprender a relaxar, a “respirar”, a “meditar” – abstinência de álcool, tabaco e outras drogas.

3. Mudanças cognitivas e comportamentais: Mudar a si mesmo; Como você aborda a si mesmo; Como você aborda os problemas? Sempre é preciso definir o problema que existe e se é possível de ser resolvido por nossa intervenção. Se for possível, deve-se definir os passos para incrementar a resolução. Senão, temos que aceitar e avaliar quais as alternativas para conviver com o problema. Temos que prestar atenção as nossas reações e sentimentos e podemos aprender nossos valores ao longo da vida.


Podemos sempre buscar uma nova visão, um novo jeito de encarar a vida e a busca de nossa felicidade passa necessariamente pelo caminho da saúde.


A partir então de uma analise médico e paciente, metas e necessidades, deve-se traçar conjuntamente planos a curto e longo prazo de mudanças possíveis, focados em cada caso, visando a saúde plena do individuo, ou seja, a parceria médico e paciente para a manutenção da saúde, que é uma responsabilidade individual.

É a união destas quatro definições abaixo:


1. É medicina baseada em evidências de múltiplas fontes, integrando amelhor seleção de terapias para o paciente, sejam elas convencionais ou complementares, e que usa métodos e terapêuticas naturais, efetivas e menos invasivas, sempre que possível;


2. É a medicina que procura remover barreiras que possam inibir os processos biológicos responsáveis pela capacidade inata de cura do corpo. É a medicina que vê o paciente como um parceiro ativo, que detém autoridade pessoal sobre a própria saúde; educa o paciente para o autocuidado.


3. É a medicina que entende que as crenças e a origem do paciente facilitam a resposta de cura: está focada nas características únicas de cada indivíduo, como base de interação entre mente, corpo, espírito e comunidade. É a medicina que observa que a compaixão é sempre favorável, mesmo quando as terapias médicas não o são.


4. É a medicina que foca em prevenção e manutenção da saúde, comatenção às escolhas de estilo de vida, incluindo alimentação, exercícios físicos, gerenciamento de estresse e bem-estar emocional, e que requisita aos provedores que atuem como educadores, modelos e mentores de seus pacientes.


Princípios de trabalho da Medicina Integrativa

(de acordo com Consortium of Academic Health Centers for Integrative Medicine)


1. Saúde é vista como estado vital de bem-estar físico,

mental, emocional.social e espiritual, que capacita a pessoa a estar engajada na própria vida.


2. O médico atua como parceiro no processo de cura e saúde.


3. O paciente informado é parte integrante do processo de decisão doplano de tratamento.


4. As intervenções são dirigidas para tratar a doença, bem como para assistir a pessoa como um todo, abordando todos os aspectos que influenciam o processo de doença e cura.


5. Os pacientes recebem orientações a reconhecer, administrar e diminuiros fatores estressantes.


6. Os pacientes recebem orientações nutricionais: os alimentos são considerados agentes fundamentais na promoção de doença e saúde.


7. O impacto das influências sociais no processo de adoecimento e saúdesão considerados e incluídos no plano de tratamento.


8. As influências ambientais no processo de cura e saúde são abordadas,investigadas e consideradas no plano de tratamento.


9. O plano de tratamento é compartilhado e integrado entre todos osprofissionais de saúde envolvidos.


10. Para cada paciente é desenvolvido um plano de tratamento individualizado, baseado em suas demandas e necessidades.


11. A promoção da saúde e a prevenção são enfatizadas nos planos detratamento.


12. Todas as abordagens terapêuticas, os profissionais de saúde e as disciplinas são consideradas.


Fonte: Bases da Medicina Integrativa (2ª edição) – Coordenador: Paulo de Tarso Ricieri de Lima – Editoras: Renata Dejtiar Waksman e Olga Guilhermina Dias Farah – Hospital Albert Einstein.


Dra. Regina Vaz de Castro

MÉDICA DERMATOLOGISTA


Graduação em medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1993 (CRM SP: 78010);

- Fez residência médica na USP em Clínica Médica de 1994 a 1995 e Dermatologia de 1995 a 1997;

- Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia desde 1997 (RQE: 28131);

- Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia;

- Pós graduada Latu Sensu em Bases de Saúde Integrativa e Bem-Estar pelo Instituto Israelita deEnsino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein em 2019;

- Atua na área de dermatologia com prática em clínica, estética, laser e micro-cirurgias em adultos ecrianças;

- Atualmente é diretora e responsável técnica da IDEO Saúde.