• Revista Plástica e Forma

Dermatologista, Dra. Antonella Murad, apresenta os tratamentos mais inovadores do mercado.


Crédito: NW Comunicação / Instagram: dicasdedermatologia


O mundo da beleza e dos procedimentos estéticos está em constante evolução, e o Ultrassom Microfocado (ulthera) que é indicado a pacientes com flacidez de pele tem sido um dos queridinhos no quesito de beleza. Segundo a dermatologista Dra. Antonella Murad de Alfenas - MG, O ultrassom microfocado alinha pontos de coagulação térmica em uma série de linhas em duas profundidades: derme profunda (a 3 mm de profundidade) e na camada muscular – SMAS (sistema músculo aponeurótico, a 4,5 milímetros de profundidade).


Essa energia de ultrassom é focada em um ponto encontrado abaixo da superfície da pele, concentrando-se em uma área de aproximadamente de 1,5 mm³ por ponto. O aquecimento acontece na derme e no SMAS através de pontos de coagulação. Dessa forma, o músculo passa por uma contração imediata quando é atingido pelos pontos de coagulação. Isso produz o efeito de lifting, que pode ter durante o período de três meses após o procedimento, tempo em onde o novo colágeno é produzido. O objetivo, então, é encurtar o músculo para tracionar a pele para cima, resultando em um efeito lifting não cirúrgico.


A dermatologista explica que a sua ação é de dentro para fora, dessa forma, não causa danos à epiderme, a recuperação é imediata e o paciente pode voltar à sua rotina normal no mesmo dia. Porém, nos locais tratados, pode ocorrer um certo inchaço, eritema, hematoma ou apresentar formigamento e a leve sensação de dor muscular. Os sintomas melhoram rapidamente. Por ser um tratamento com ação dentro da pele, não há períodos de inatividade.

Previsão de Resultados:

A melhora na flacidez pode aparecer a partir de 20 dias após o início do tratamento, mas os resultados mais expressivos aparecem depois de 3 meses.

Rosto – rejuvenesce e reduz a flacidez.

Braços – firma a pele e reduz a flacidez.

Abdômen – firma a pele e reduz a flacidez.

Coxas – firma a pele e reduz a flacidez.

Glúteos – firma, reduz flacidez e auxilia no tratamento da celulite.

Os bioestimuladores mais utilizados são a hidroxiapatita de cálcio, o ácido polilático e a policaprolactona, mais conhecidos respectivamente pelos nomes comerciais de Radiesse, Sculptra e Ellansé.

Crédito: NW Comunicação / Instagram: dicasdedermatologia


Sculptra

Ao estimular o colágeno, o ácido polilático melhora o contorno facial e corporal e atenua sulcos, rugas e marcas de expressão. Não é um preenchedor, mas pode resultar em um leve aumento de volume, mais natural. No rosto, é indicado para áreas de pouca mobilidade para dar sustentação, e contraindicado na região dos olhos e boca. No corpo, trata celulite e flacidez dos braços, coxas, glúteos e abdômen.

Radiesse

Assim como o Sculptra, o Radiesse age estimulando a produção de colágeno pelo organismo e também atua como preenchedor. É indicado para pacientes acima dos 30 anos quando os primeiros sinais de envelhecimento começam a aparecer. Seu efeito dura em média de 12 a 18 meses.

Além do efeito de preenchimento imediato, a Radiesse estimula a produção natural de colágeno e age na recuperação, firmeza e elasticidade da pele.

Nas mãos, trata a perda de volume disfarçando os tendões e minimizando a flacidez da pele. Recomendado também para pescoço, colo, interno de braço e joelhos. Pode ser associado ao ultrassom microfocado para contorno do rosto, papada, pescoço e braço, reforça o combate à flacidez.

Ellansé

Este bioestimulador começou a ser utilizado no Brasil em 2018. Ele melhora a textura da pele, deixando-a firme, sedosa e com aparência saudável. Além disso, a policaprolactona ajuda a recuperar o volume perdido devido à diminuição natural da gordura do rosto.

Pode dar 20 a 30% mais volume do que o gel de ácido hialurônico, por isso, é necessário cuidado na aplicação.

A vantagem deste bioestimulador é que não é necessário retocar regularmente. Consultas rotineiras com o médico de confiança são suficientes para avaliar...

Instagram - @dicasdedermatologia - Dra. Antonella Moreira Murad