• Revista Plástica e Forma

Saiba mais sobre saúde integrativa - Dra. Regina Vaz Castro


Se você está se perguntando o que é saúde integrativa, faz sentido antes relembrar o conceito de saúde.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define “saúde” como um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não como a ausência de doenças.

De acordo com esse conceito, para que se tenha saúde é necessário um bom funcionamento biológico do corpo, acesso a direitos básicos como água, ar, moradia e trabalho, um estilo de vida adequado e uma assistência à saúde que atenda a população de forma satisfatória.

A saúde integrativa que trata da conexão mente e corpo, do impacto da espiritualidade e da religião na manutenção da saúde e de todos os processos mentais que interferem em nosso estilo de vida, e, portanto, na nossa saúde. A saúde integrativa é focada na pessoa, no seu todo. Baseada no bem estar, autocuidado, autonomia. A roda da saúde baseia-se então, no autocuidado, nutrição saudável, atividade física, gestão de estresse, espiritualidade, ambientes saudáveis e práticas integrativas mente-corpo.

Quanto ao auto cuidado, temos que despertar em nós, nosso poder pessoal que todos nós temos, porém ativá-los e o livre arbítrio, qual a direção que queremos seguir.

O autocuidado, o individuo deve cuidar de sua mente, energia, espiritualidade, dinheiro e afetividade, de forma equilibrada e integrada. Isso quer dizer que para envelhecermos bem, temos que entender que pensamentos, emoção e crenças são determinantes na saúde e na longevidade. Como diz a frase: “O Dom de ser capaz de ser feliz” (envelhecer bem).

Então qual é o papel da mente na saúde? Uma mente tranquila reage com mais clareza frente à situação, tem mais equilíbrio emocional, gerando maior bem estar, melhor percepção, sono mais restaurador, menor incidência de doenças psicossomáticas (síndrome do pânico, ansiedade, depressão), doenças intestinais, inflamatórias, doenças autoimune e câncer.


A importância de Cuidar de seu Estilo de Vida

Sabe-se que as mortes precoces ocorrem por:

-20% fatores ambientais;

-10% falta de acesso à saúde;

-20% fatores genéticos;

-50% escolha de estilo de vida.


Então, cabe a nós médicos e pacientes, visto que 50% deve-se a estilo de vida, buscar uma melhor qualidade de vida.

Dentre as práticas integrativas, para visar melhor qualidade de vida e bem estar físico e mental, podemos citar: Meditação/Mindfulness (atenção plena), Acupuntura, Yoga, Tai-Chi-Chuan, Qi Gong, exercícios respiratórios, massagens terapêuticas, entre outros.

Essas técnicas nos ajudam a descontrair e a nos autoconhecer e organizar pensamentos. As emoções “contraem” o corpo, daí o corpo pode adoecer, mas as emoções podem ser percebidas e treinadas, para termos relacionamentos mais saudáveis.

O que é necessário para cuidar de um ser humano? Amor, compaixão, autocuidado, presença, escuta sensível.

“As pessoas buscam médicos desejando ter mais saúde, mas no fundo elas só querem ser mais felizes”. ( Henrique Rego)

É importante a relação paciente e profissional e a cura envolve a participação ativa do paciente em todo processo.

Manejo do Estresse

Assim sendo, é de suma importância o manejo do estresse que deve ser orientado sob os prismas de: 1- gerenciar estressores; 2 - fortalecer a resistência; 3- mudanças cognitivas e comportamentais.

1. Definir prioridades e Gerenciar Estressores:

A- Identificar os estressores: coisas que você tem para fazer, resolver (pode-se escrever no papel e ir colocando prioridades para cada semana);

B- Negociar metas e prazos com os quais pode se comprometer. É preciso aprender a delegar tarefas e a dizer Não.

2. Fortalecer a resistência: através da atividade física regular, alimentação saudável e equilibrada, descanso e sono, aprender a relaxar, a “respirar”, a “meditar” – abstinência de álcool, tabaco e outras drogas.

3. Mudanças cognitivas e comportamentais: Mudar a si mesmo; Como você aborda a si mesmo; Como você aborda os problemas? Sempre é preciso definir o problema que existe e se é possível de ser resolvido por nossa intervenção. Se for possível, deve-se definir os passos para incrementar a resolução. Senão, temos que aceitar e avaliar quais as alternativas para conviver com o problema. Temos que prestar atenção as nossas reações e sentimentos e podemos aprender nossos valores ao longo da vida.

Podemos sempre buscar uma nova visão, um novo jeito de encarar a vida e a busca de nossa felicidade passa necessariamente pelo caminho da saúde. A partir então de uma analise médico e paciente, metas e necessidades, deve-se traçar conjuntamente planos a curto e longo prazo de mudanças possíveis, focados em cada caso, visando a saúde plena do individuo, ou seja, a parceria médico e paciente para a manutenção da saúde, que é uma responsabilidade individual.


O que é Medicina integrativa:

É a união destas quatro definições abaixo:

1. É medicina baseada em evidências de múltiplas fontes, integrando a melhor seleção de terapias para o paciente, sejam elas convencionais ou complementares, e que usa métodos e terapêuticas naturais, efetivas e menos invasivas, sempre que possível;

2. É a medicina que procura remover barreiras que possam inibir os processos biológicos responsáveis pela capacidade inata de cura do corpo. É a medicina que vê o paciente como um parceiro ativo, que detém autoridade pessoal sobre a própria saúde; educa o paciente para o autocuidado.

3. É a medicina que entende que as crenças e a origem do paciente facilitam a resposta de cura: está focada nas características únicas de cada indivíduo, como base de interação entre mente, corpo, espírito e comunidade. É a medicina que observa que a compaixão é sempre favorável, mesmo quando as terapias médicas não o são.

4. É a medicina que foca em prevenção e manutenção da saúde, com atenção às escolhas de estilo de vida, incluindo alimentação, exercícios físicos, gerenciamento de estresse e bem-estar emocional, e que requisita aos provedores que atuem como educadores, modelos e mentores de seus pacientes.

Princípios de trabalho da Medicina Integrativa (de acordo com Consortium of Academic Health Centers for Integrative Medicine).

1. Saúde é vista como estado vital de bem-estar físico, mental, emocional. social e espiritual, que capacita a pessoa a estar engajada na própria vida.

2. O médico atua como parceiro no processo de cura e saúde.

3. O paciente informado é parte integrante do processo de decisão do plano de tratamento.

4. As intervenções são dirigidas para tratar a doença, bem como para assistir a pessoa como um todo, abordando todos os aspectos que influenciam o processo de doença e cura.

5. Os pacientes recebem orientações a reconhecer, administrar e diminuir os fatores estressantes.

6. Os pacientes recebem orientações nutricionais: os alimentos são considerados agentes fundamentais na promoção de doença e saúde.

7. O impacto das influências sociais no processo de adoecimento e saúde são considerados e incluídos no plano de tratamento.

8. As influências ambientais no processo de cura e saúde são abordadas, investigadas e consideradas no plano de tratamento.

9. O plano de tratamento é compartilhado e integrado entre todos os profissionais de saúde envolvidos.

10. Para cada paciente é desenvolvido um plano de tratamento individualizado, baseado em suas demandas e necessidades.

11. A promoção da saúde e a prevenção são enfatizadas nos planos de tratamento.

12. Todas as abordagens terapêuticas, os profissionais de saúde e as disciplinas são consideradas.




Fonte: Bases da Medicina Integrativa (2ª edição) – Coordenador: Paulo de Tarso Ricieri de Lima – Editoras: Renata Dejtiar Waksman e Olga Guilhermina Dias Farah – Hospital Albert Einstein.


Dra. Regina Vaz Castro - CRM 78010 D

Instagram - @ideo.saude


Contato:


Unidade Morumbi : 11.98548-9337

Unidade Jundiaí: 11.98548-9335







12 visualizações
SEU CARRINHO
0