• Revista Plástica e Forma

Micropigmentação Paramédica em aréola.


Natalia Becker trabalha há mais de 6 anos na área da beleza e se redescobriu na Micropigmentação. Com certificação Internacional, ela é artista da maior academia do mundo em micropigmentação. Dedicou todo o seu tempo e estudo para oferecer o que há de melhor e mais moderno para suas clientes. Com trabalhos minuciosos e perfeccionista feitos sempre com muita paixão e carinho tem ganhado o público. Fundou sua escola Academy Natalia Becker, e já formou mais de 1.000 alunos pelo mundo. Micropigmentação Paramédica em aréola. A Micropigmentação tem se tornado tendência, principalmente entre mulheres que querem aperfeiçoar traços do rosto, como sobrancelhas, lábios ou contorno dos olhos. Mas muito além da estética, esse procedimento é um forte aliado na autoestima.

A Micropigmentação paramédica é um procedimento indicado para reconstruir e disfarçar cicatrizes, aproximando-se ao máximo da cor natural da pele. A técnica segue os princípios básicos de tatuagens, mas a tinta só é aplicada na camada mais superficial da pele. Entre outras aplicações, como lábios leporinos, marcas de vitiligo estacionário e reparação de queimaduras na pele, a técnica é utilizada para o redesenho de aréolas e mamilos das pacientes que precisaram reconstruir os seios após o tratamento de cirurgias plásticas.

O procedimento é rápido e indolor. Mesmo havendo pouca sensibilidade na região, é aplicado um anestésico local sobre a pele, para inibir qualquer desconforto.

Mastectomia (retirada da mama) e Mastopexia (plástica para levantar os seios), além de pacientes com pouca pigmentação areolar ou que apresentem diferença de cor de uma para outra e com cicatrizes nesta região podem se submeter ao procedimento. Os próprios cirurgiões recomendam e encaminham os pacientes.

A autoestima das mulheres que realizam a micropigmentação das aréolas aumenta bastante, pois o resultado de um desenho feito com micropigmentação realista é bastante natural. A técnica dá textura e profundidade ao desenho e pintura das aréolas, onde até mesmo as cicatrizes da região são camufladas. O equipamento utilizado na micropigmentação é diferente das máquinas utilizadas por tatuadores, bem como os pigmentos. A técnica é realizada com agulhas apropriadas que depositam os pigmentos apenas na epiderme (camada mais superficial da pele), utilizando pigmentos no tom semelhante à pele. O procedimento tem durabilidade de aproximadamente dois anos, mas por ser uma região que não sofre muito com a influência dos raios solares, sua durabilidade pode ser prolongada.

A técnica 3D dá o efeito de textura e profundidade ao desenho, sendo importante ressaltar que, com essa técnica, os mamilos não têm proeminência, o que o profissional faz é um trabalho de perspectiva que simula o efeito de projeção em 3D. A vantagem deste procedimento é que a micropigmentação não é um procedimento cirúrgico, tornando se menos invasivo, com um risco muito baixo de infecções e praticamente indolor. Com resultados rápidos e confiáveis, a técnica ajuda a melhorar a qualidade de vida e o bem-estar das pacientes, mas é importante que o procedimento seja realizado por um profissional capacitado, que tenha conhecimento sobre colorimetria para que os resultados sejam os melhores possíveis, priorizando sempre a biossegurança das pacientes.


Natalia Becker

Instagram - @academynataliabecker



CONTATE-NOS
 

CURTA E COMPARTILHE

CONTATO

©  2017 Todos Direitos Reservados - Revista Plástica & Forma Online