• Revista Plástica e Forma

Excesso de tecidos mamários levam homens a fazerem cirurgia.


Como o crescimento da mama não é uma situação natural para muitos homens, pode gerar consequências psicológicas, o que merece uma atenção especializada.


Enquanto muitas mulheres estão aumentando os seios com silicone, muitos homens querem diminuir a mama desenvolvida. Eles sentem vergonha de se expor em público e sem camisa, não apenas por estarem gordinhos, magros demais ou não serem malhados, mas por estarem incomodados com a glândula mamária que está saliente no corpo. Geralmente, as mamas não se desenvolvem nos homens, porém, algumas vezes, podem aparecer e se destacar por alterações hormonais sofridas ou pelo excesso de peso. "Pode não importar, mas isto causa um grande desconforto estético e emocional. Fere aquilo que alguns chamam de masculinidade", conta Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional - Cirurgia Plástica. A cirurgia plástica conhecida por resolver este problema masculino é a Ginecomastia. Apesar de parecer complexa e de ter certos cuidados, não é uma cirurgia que demore muito a ser feita, por isso o paciente fica internado na clínica apenas no dia em que ela será realizada. Dependendo do caso, qualquer um pode fazer. A cirurgia de correção é feita por uma incisão, de uma maneira muito discreta ao redor da aréola, local onde a pele do homem é mais escura. O excesso de gordura, caso houver, é resolvido com uma pequena lipoaspiração local, e, se necessário, o tecido mamário é removido com bisturi. Os pontos são feitos com fios que reduzem ao mínimo os vestígios da cirurgia. Em outras palavras, a cicatriz não fica aparente. Vale lembrar que o resultado é excelente, mas que só após seis meses é que se pode dizer que está definitivo. Porém, se a dificuldade é custear a cirurgia, sempre é bom lembrar que hoje é possível parcela ou recorrer a uma intermediador administrativo-financeiro, como o Centro Nacional - Cirurgia Plástica, que ajuda o paciente a encontrar as melhores formas de pagamento com uma instituição médica ou cirurgiões profissionais. "Nos primeiros 30 dias após a cirurgia, o paciente deve utilizar uma faixa elástica com pressão. E logo o homem poderá voltar ao trabalho, em questão de dias, dependendo das atividades exercidas com o braço, que, aliás, são muito recomendadas neste caso.", afirma Arnaldo Korn. A drenagem linfática pode ser uma boa indicação neste tipo de pós-operatório.


Instagram - @centronacionalcirurgia

CONTATE-NOS
 

CURTA E COMPARTILHE

CONTATO

©  2017 Todos Direitos Reservados - Revista Plástica & Forma Online