• Revista Plástica e Forma

Estilista das famosas, Kaique Oliveira, enaltece a posição feminina na moda.

Atualizado: Mar 10


“Mulheres são livres, são fortes e são o que elas querem ser.”


Em homenagem ao mês da mulher, Kaique afirma ser um desafio lidar com a padronização e diz que o estereótipo precisa ser quebrado._ É claro que as mulheres devem ser reverenciadas em qualquer situação. Mas especialmente no mês de março, a força feminina deve ser admirada e reconhecida. Muito se fala na quebra de estereótipos e é evidente que a luta vem crescendo cada dia mais. Kaique vem chamando atenção e ganhando seu espaço no âmbito da moda no país inteiro e aproveitando um mês tão especial, homenageando exatamente o público com que trabalha, o designer de moda explica como enxerga o tal estereótipo romântico imposto as mulheres: “Esse perfil romantizado da figura feminina perpetua a décadas, esse conceito foi imposto pela imagem construída em cima da fragilidade vista de uma forma errônea nas mulheres, e isso se estende na literatura, na dramaturgia, na vida real, não seria diferente na moda. Mas todos esses rótulos dado as mulheres estão sofrendo transformações, e acho que a moda tem sido um dos meios mais usados para comunicar essa mudança. A moda feminina hoje é cada vez mais livre, e uma vez que se rompem os padrões, quebram também os estereótipos.” Conta ele. O estilista comenta que a luta contra a padronização é constante e conta que afeta diretamente a sua profissão: “O paradoxal é que, ao mesmo tempo que eu crio peças que representem a mulher, e essa figura está totalmente ligada aos padrões, eu não quero replicar essa ilusão de padrão que as pessoas tem. Principalmente quando estamos falando de moda, as pessoas esperam por algo, e eu enxergo a essência feminina de outra forma, é sempre desafiador o processo de desconstrução apresentando o meu ponto de vista, mas acho que é um desafio necessário.” Kaique, que também é empresário e proprietário da Kaoli, expõe de que maneira mostra para o público que a sua roupa pode ser adquirida por qualquer pessoa: “Eu crio para vestir as mulheres, no plural, porque ser mulher é muito plural. E quando estamos falando sobre atender a todas as mulheres, as pessoas estão sempre presas ao valor, mas nem sempre é o valor da peça o veredito de compra, ele é um fator importante mas não é tudo. Eu tento apresentar todas as minhas coleções da forma mais humanizada possível, em como ela pode ser usada na vida real, no dia a dia, que toda mulher pode ficar deslumbrante dentro de um slip dress, por exemplo.” A Kaoli é uma marca definida como “Feita para mulheres fortes”. E para finalizar, Kaique esclarece como a moda pode fortificar as mulheres nos dias atuais: “Acho que o fato de a moda proporcionar a mulher a sensação de poder apenas por se sentir linda na roupa que veste, impulsiona o pensamento de que ela pode o que quiser. Vestir também é comunicar, e através das roupas as mulheres conseguem expor sua personalidade, sua mensagem, suas conquistas pessoais e sociais. Vestir não é só uma roupa, vestir faz um momento, as vezes até transforma uma mulher, ela liberta sua personalidade através do que veste.” Desabafa.

Kaique Oliveira - @kaiqueoliveirar

Assessoria - @maddeiracomunicacao

Fotos: Divulgação