top of page
  • Foto do escritorPlástica e Forma

EMPATIA

Atualizado: 19 de jun.



Vamos refletir um pouco mais sobre a empatia, será que realmente compreendemos o que é ter empatia? Uma palavra tão popular atualmente, e um valor tão incompreendido no seu verdadeiro significado. Quero compartilhar com vocês mais sobre o que significa empatia para mim, e como essa busca tem se manifestado em minha vida.


Na verdade, estou aprendendo a ser uma pessoa mais empática, me sinto muitas vezes no automático, é muito fácil se dizer ser uma pessoa empática, que se importa com o outro e que está sempre disposta a ver as situações sem um julgamento, o difícil é praticar isso de verdade.


Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro sem críticas, julgamentos, com total abertura para compreender a situação sob a perspectiva, crenças e verdades do outro. A empatia não é se colocar no lugar do outro com os seus próprios valores, para ser uma pessoa empática você precisa desconstruir-se, se abster de tudo o que acredita e entrar no mundo da outra pessoa.



Hoje em dia quem realmente faz isso? Será que eu posso dizer que já fui empática alguma vez? A empatia pode e deve surgir sobretudo quando nos sentirmos incomodados com opiniões e atitudes que discordamos. Saber compreender e respeitar posicionamentos diferentes sem o julgamento, traz para a consciência que cada pessoa nesse planeta pensa de forma diferente e carrega consigo experiências únicas que moldam seu jeito de pensar e agir.


Entender isso já é um grande passo para conseguir ser mais empático. As maiores dificuldades de convivência são causadas pelas divergências de opiniões sobre determinados assuntos como política, religião, ciência, esportes etc.



Em relação ao fato de nos preocuparmos com o outro, será que isso ocorre de fato de forma natural? Quantas vezes você pergunta a uma pessoa como ela está e se sente realmente interessado em saber? Quantas vezes as pessoas perguntaram isso para você, dispostos a ouvir?


Vivemos tão imersos em nosso mundo que raramente apresentamos comportamentos empáticos naturalmente, muitas vezes nos concentramos mais em agradar ou sermos aceitos do que sermos empáticos de verdade. Vivemos tão imersos em nosso mundo que raramente apresentamos comportamentos empáticos naturalmente, muitas vezes nos concentramos mais em agradar ou sermos aceitos do que sermos empáticos de verdade.


Esse comportamento ao contrário da empatia, torna-se egoísta. Apenas  agrado ou me preocupo com  aqueles que podem me oferecer algo, ou com aqueles que estou intimamente ligado. Por que meia hora escutando alguém que você considera importante é mais valioso do que alguém que você não conhece?  O mesmo assunto, os mesmos problemas. Enquanto para um você é todo ouvidos, para o outro você vira os olhos ou as costas.



Fascinante o comportamento humano. Neste momento, você deve estar pensando: eu nunca fiz isso. Não sou uma pessoa assim, tomara que não. Não posso dizer o mesmo de mim mesma. Muitas vezes agi dessa maneira e procuro aprimorar minhas atitudes egoístas. Tenho muito a aprender e a evoluir. Estou em busca de ser mais empática todos os dias, em cada fala, em cada escuta e em cada ato da minha vida.



Deixo uma reflexão aqui para vocês, em que momento do meu dia posso estar aberta para ser uma pessoa mais empática, quais atitudes posso tomar para trazer essa virtude para minha vida de forma natural? Consigo me colocar no lugar do outro sem julgamentos? Se eu julgo por que o faço? Quais as minhas crenças para julgar alguém, quais são minhas verdades e por que considero que elas são mais importantes que as dos outros?

 

Paz, amor e Luz

Camila Zanetti

 

 


 

Comments


bottom of page