• Plastica e Forma

Donas de si, mulheres ascendem em suas posições e não temem investir na beleza.


Com maior liberdade financeira, diversas mulheres estão realizando a sonhada cirurgia plástica.


A rotina exaustiva do mercado de trabalho, as tarefas domésticas diárias, pressões sociais e padrões estéticos são apenas alguns elementos cotidianos do universo feminino. O mundo moderno atribuiu às mulheres uma série de novas responsabilidades, mas também mais autonomia e confiança. Protagonistas de suas histórias, elas cuidam sim dos seus lares, mas não abrem mão do sucesso empreendedor ou profissional.


Mesmo que ainda sejam multitarefas, elas estão aprendendo a dividir os afazeres e responsabilidades da casa com o companheiro e os filhos mais velhos. Numa jornada de autoconhecimento, do que é ser mulher na atualidade, estão descobrindo que não precisam carregar o mundo nas costas, mas que é necessário administrar bem todas as coisas, sem deixar de ter tempo para investir em si mesma.


Talvez por isso, uma pesquisa da Revista Forbes diz que as mulheres poupam mais dinheiro que os homens e o investem de forma mais assertiva e estável. “Elas investem menos, porém melhor”. Ainda que a caminhada para a igualdade salarial rasteje a duros obstáculos, as mulheres estão assumindo cada vez mais seus espaços e quebrando as paredes do “politicamente correto”.


Tendo mais autonomia e liberdade financeira, essas mulheres modernas não têm medo de arriscar e investir em suas carreiras e bem-estar. “A autoestima e o autocuidado se tornaram prioridade na vida delas, que não se intimidam na hora de realizar procedimentos estéticos e cirurgias plásticas. Não se trata apenas de modismo e padrão de beleza, e sim da manutenção da autoestima e da satisfação pessoal”, explica Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional — Cirurgia Plástica.


O crescente número de mulheres que investem no autocuidado é certamente a principal alavanca do aumento exponencial de cirurgia plástica no Brasil. O atual comportamento feminino demonstra que as mulheres querem mais longevidade e não aceitam mais aquela antiga ideia de que o avanço da idade significa que não podem ascender profissionalmente ou realizar determinados sonhos que sempre tiveram. “Elas rejuvenesceram seus comportamentos e pensamentos, por isso, querem que seus corpos também rejuvenesçam, não só através de cirurgia plástica, mas também de uma vida mais saudável”, declara ele.


O contexto antigo de mulheres que deixavam sua essência de lado para servir as pessoas que estavam à sua volta está dando lugar para mulheres adultas e maduras, que colocam sua energia e recursos não só para o bem-estar familiar, mas também para alcançar suas aspirações pessoais. “As mulheres sempre estiveram à frente do orçamento doméstico e muitas delas gerenciam os investimentos da família. E, ao administrarem suas finanças, organizam-se para que se vistam bem, tenham acesso a bons cosméticos e até possam parcelar a tão sonhada cirurgia plástica, com o auxílio de uma empresa que faz assessoria administrativa, oferecendo crédito com condições especiais de pagamento”, explica Arnaldo Korn.


Há uma frase de Charles Chaplin que resume bem este momento em que a mulher está buscando ocupar melhor seu espaço, se valorizar e cuidar mais do seu bem estar e beleza: “Aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo nem orgulho. É amor-próprio”.