• Revista Plástica e Forma

Cirurgia plástica ou estética: qual é o método mais eficaz para a eliminação da papada?


Em tempos de redes sociais e reuniões on-line, o queixo duplo ou a famosa “papada” se tornam ainda mais evidentes e incômodos.


Nada incomoda mais homens e mulheres do que o queixo duplo ou a popular papada, que surge com mais frequência após os 35 anos. Quem nunca tentou fazer uma selfie ou participou de uma reunião on-line em que aquele volume entre o pescoço e o rosto ficou muito evidente? Esse acúmulo de gordura na região abaixo do queixo pode acontecer devido ao excesso de peso e, também, quando a pele fica mais flácida. Para o tratamento muitos recorrem a cremes - que nem sempre apresentam os resultados esperados -, outros fazem tratamentos estéticos, que, normalmente, não são baratos e podem não resolver totalmente o incômodo precisando refazer com certa frequência.

Para um resultado duradouro, há quem prefira a cirurgia plástica de lipoaspiração ou lifting de pescoço e colo, porque estes tratamentos conseguem eliminar totalmente a 'papada', conferindo uma aparência mais fina e harmoniosa do rosto. “A papada incomoda bastante, pois ‘entrega a idade’, já que interfere diretamente na fisionomia do rosto, dando um semblante mais envelhecido. Para saber exatamente o que causou o problema, é necessária uma análise de fotografias realizadas em uma primeira consulta com um cirurgião plástico, para identificar todas as alterações e, assim, ver a melhor abordagem a ser realizada”, afirma Arnaldo Korn, Diretor do Centro Nacional – Cirurgia Plástica.

Segundo ele, a lipoaspiração do queixo é uma cirurgia estética em que o excesso de gordura do queixo é aspirado através de pequenos orifícios e, normalmente, é feita em pessoas que estão acima do peso. “Há casos em que, além da lipoaspiração, é preciso também fazer um lifting de rosto para remover o excesso de pele desta região, como acontece em pessoas mais velhas ou que emagreceram muito”, completa.

Korn explica que ambos os procedimentos são simples e devem ser feitos sob anestesia local, não sendo necessária a internação e a recuperação é rápida, demorando em média duas semanas. “Depois da cirurgia, o local pode ficar um pouco inchado e pode surgir manchas escuras nos primeiros dias, por isso, para auxiliar na recuperação, é colocada uma faixa de compressão no rosto e é preciso fazer drenagem linfática na primeira semana”, detalha.

Apesar de incomodar e ser uma cirurgia simples, muitas pessoas optam por permanecer dessa forma ao longo da vida, acreditando que não há alternativas quando se trata de questões financeiras e do próprio medo da cirurgia. Porém, os dois quesitos já não são mais desculpas para ficar insatisfeito com o rosto “que lhe encara no espelho”. Primeiro, porque todo os riscos são baixos – tudo dependerá do cirurgião escolhido, de preferência com especialidade e experiência neste procedimento; segundo, que hoje existem diversas formas de se realizar o sonho da cirurgia plástica de uma forma que caiba no bolso. “Para realizar o procedimento, muitos recorrem a empresas que fazem essas intermediações financeiras, facilitando os pagamentos, que podem ser parcelados, como é o caso do Centro Nacional Cirurgia Plásticas”, finaliza Korn.

Centro Nacional Cirurgia Plástica - @centronacionalcirurgia